segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Leila Miccolis



PENA DE MORTE

Eram bastante bons
aqueles tempos de ódio,
em que planejávamos nossos assassinatos,
pelo simples prazer de nos vingarmos:
eu te via com os dedos na tomada,
tu me vias sufocada pelo gás.
Tempos em que sorrias ao atravessar a rua,
e eu achava graça em ser atropelada;
tempos em que queríamos fazer um filho,
para espancarmos juntos,
nos dias de ócio;
em que eu te servia de escarradeira,
em vez de cozinheira e passadeira.
Depois, veio o amor,
que é como um lenço em que se assoa,
ou mãe que chicoteia e nos perdoa.
Hoje afago-te as corcovas
e lustro-te as botas novas.


REFERENCIAL

"Solteira de aceso facho
precisa logo de macho;
se é nervosinha a casada
só pode ser mal trepada;
viúva cheia de enfado
tem saudade do finado;
puta metida a valente
quer cafetão que a esquente".
Mulher não vive sem homem.
A prova mais certa disto
é que até as castas freiras
são as esposas... de Cristo.
Tal regra é tão extremista
que não contém exceção:
quem sai dela é feminista,
fria, velha ou sapatão".

E é com essa bagagem de preconceitos adquiridos
que chega-se à conclusão,
na separação de amores doloridos,
de que não houve culpados.
Só feridos.


TRÊS NÚMEROS DE MÁGICA

O espetáculo começa:
faço sair da cartola
televisão a cores,
automóveis
e imóveis
em 180 prestações.
Depois te serro ao meio no caixão,
para salvar-te a seguir:
surges inteiro e pareces tão ileso
que nem dá para notar-se a castração.
Por último me cobres — abracadabra —
e tiras da vagina objetos contudentes
que fizeram a minha vida e o meu hímen
complacentes.

PACIÊNCIA
Hoje, não passei tua roupa,
não encerei o chão
não lavei a louça
não sacudi o capacho.
Olho pro teto
e espero
que a casa venha abaixo.

ATIRADOR DE FACAS

Arrancar as vendas
e acompanhar,
de olhos abertos,
a trajetória do punhal,
cravado em nosso corpo, em nosso peito,
a cada amor desfeito.

TENTATIVA DE SUICÍDIO

Foi ao toalete,
e cortou os sonhos
a gilete.


TOCAIA

Quando te encontro sem que te assustes,
sem que te encoste contra a parede,
sem que puxes o cabelo,
desesperado,
sem que peças o último pedido,
como um condenado desperto na madrugada da execução,
sem que te sintas sufocado e preso entre dois andares,
sem que te firam vidros e te cortem pulsos,
pressinto ser inútil a emboscada.

NOVO AMOR

Meu coração nunca pára
pra comparar, solta amarras,
vive seu tempo presente:
se ferido, em mim se ampara;
mas quando sara e se sente
contente, fica eloqüente,
feito algazarra de araras.
POEMA AO MAIS RECENTE AMOR
Estar entre teus pêlos e dedos,
entre tua densidade,
neste transpirar sob medida
aos teus gemidos.
Estar entre teus trópicos,
entre o teu desejo e o meu prazer,
beber parte de teus líquens e teus rios
percorrendo-te da foz até a origem,
e pura a cada amor partir mais virgem.


BONS TEMPOS ou
SAUDOSA MALOCA...


Namoro antigo: titia
na sala bordava um pano,
tomava conta, e ainda havia
entre nós dois... um piano...

Pra se mostrar, a vigia
tocava um rondó cigano,
tão mal, que ela enrubescia,
se rias de algum engano...

Por fim, como despedida,
a mais ousada bravata:
um beijo na minha tez.

E após a tua saída,
eu, titia e mais a gata,
surubávamos as três...

SEM DIVÃ

Você fala bonito
sobre fases sexuais
— orais, anais, vaginais —
mas,
cadê que as faz?...

DOS MALES O MENOR...

Se te chamo de putinha
sou machista e indecorosa.
No entanto, se não chamo,
você não goza...


COERÊNCIA

Sei que me fazes mal,
mas prefiro tal
à tua ausência.
Nesta loucura imensa
à lucidez me rendo:
na vida, eu aprendi, dose a dose,
que, neurose, é tudo o que não se aceita,
querendo...
BISSEXUALISMO
Teus pentelhos raspados
arranham
feito barba mal-feita.


FORA DE FORMA

De amor é fácil falar,
opinar, teorizar,
mas viver é que são elas...
Portanto não acredite
nesse povo tagarela
que somente dá palpites.
Nem agrida quem discorda
ou quem chama de calhorda
a nossa forma de vida,
só por ser controvertida.
Mais lúcidos somos nós:
eles se juntam somente
a uma multidão de gente
pra fingir que não estão sós.
DES CALÇA
para Glauco Mattoso

É tão fetichista,
que, ao ver meu pé nu,
berrou: — se vista!


SUPERHERÓTICOS

Enquanto o Incrível Hulk
cresce na parte de cima
verde que nem perereca,
a pobre parte de baixo,
vermelhinha de vergonha,
não rasga nem a cueca.
Já o Homem Invisível
tem um troço tão encolhido
que ganhou este apelido.
E o Homem Aranha? Coitado!
Dia e noite, noite e dia
só na luta contra o mal
deve ter teias no pau...
Êta turminha sem sal!
Não é ridículo?
Ninguém agüenta mais os Super Homens,
com seus cintos de utilidade
e estreitas mentalidades...
Homens com maiúsculos agás,
"gagás".
Chega dos valores desta escala:
muito falo e pouca fala.
Se afinal é preciso mudar tudo,
que se tire então, do homem, o H mudo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário